Dentição de idosos: o que muda nos cuidados nessa fase da vida?

Diversas são as transformações no corpo quando chegamos à terceira idade. Algumas mudanças de hábitos relacionadas à saúde bucal precisam ser tomadas para que haja a prevenção de possíveis problemas. Mas o que de fato deve mudar nos cuidados relacionados às próteses e à dentição? Conversamos com o dentista Pablo Pause que explica quais os principais cuidados que devemos ter com nossos dentes na terceira idade.

O que explica a maioria dos casos de próteses na terceira idade?

Hoje, a odontologia preventiva vem sendo trabalhada de forma intensa tanto pelo profissionais de saúde bucal, quanto por veículos midiáticos. Porém, essa não era a realidade até poucos anos, onde a preocupação com a saúde bucal acabava ficando em segundo plano. “Há tempos atrás as práticas clínicas estavam limitadas a procedimento como extração dentária e a colocação de próteses”, explica o dentista. Por conta desse contexto histórico da odontologia, hoje, os pacientes idosos possuem um alto índice de ausências dentárias.

Os cuidados para quem tem prótese mudam?

Quando pensamos em higiene bucal na terceira idade, é preciso levar em consideração que muitos pacientes podem fazer o uso de algum tipo de prótese dentária. Quando essas próteses são fixas por implantes ou por pinos, precisam de um cuidado especial de higiene por conta de acúmulo de resíduos nas áreas entre dentes.

Para os pacientes que utilizam prótese removível, parcial ou total, devem realizar a higienização dos mesmos sempre após a alimentação, com escova de cerdas duras ou médias, para a remoção de resíduos alimentares, bem como observar possíveis imperfeições na superfície da prótese. “As próteses, independente de seus tipos, possuem cuidados específicos que variam de modelo para modelo e de paciente para paciente, e os cuidados devem ser passados pelo cirurgião-dentista responsável”, adverte Pablo.

Quais problemas bucais mais afetam os idosos?

Com o passar dos anos, nosso corpo começa a apresentar mudanças fisiológicas que comprometem nossas principais atividades motoras. Esse pode ser um fator determinante para a higiene bucal, podendo prejudicá-la de forma considerável. Nesses casos, é indicado o uso de técnicas e produtos que contribuem para a manutenção da higiene e consequentemente da saúde oral do nosso paciente. “Escovas elétricas, soluções para bochecho entre outros produtos, que contribuem de forma positiva na realização da higienização bucal desse paciente”, indica o profissional. Vale ressaltar que a técnica de escovação adequada e os produtos a serem usados devem ser orientados pelo seu dentista. Assim depois de analisado as necessidades do paciente haverá a prescrição individual dos medicamentos.

Acompanhamento multidisciplinar é indicado

As mudanças pelas quais nosso corpo passa por conta do envelhecimento causam diversas alterações no fluxo de saliva. O uso de alguns tipos de medicações muitas vezes dão origem a doenças na boca que devem sempre ser avaliadas por um profissional da odontologia. “Nesse contexto, é necessário o trabalho multidisciplinar de vários ramos da saúde onde a opinião de outros profissionais deve sempre ser levadas em consideração.”

fonte: http://www.sorrisologia.com.br/noticia/denticao-de-idosos-o-que-muda-nos-cuidados-nessa-fase-da-vida_a6659/1

About kadu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *